Pelo Mundo Phi Phi Island - Tailândia

Phi Phi Island - Tailândia

Sabe aquelas fotos de “lugares que você precisa conhecer antes de morrer” que você vê no Instagram, Facebook, Pinterest?

Então, eu ficava me imaginando nas ilhas da Tailândia.

Pra quem andou de avião pela primeira vez aos 24 anos para o RJ, isso era quase uma missão impossível.

Massss quando conheci o Gui isso passou a ser possibilidade!

 

Sempre falávamos que íamos pra Tailândia, até que apareceu uma promoção de Black Friday e compramos as passagens pela metade do preço.

Lembro até hoje da sensação kkkkk Medo, junto com ansiedade, junto com sei lá o que kkkk

 

Para conhecer as ilhas, escolhemos ficar em Krabi, mais especificamente em Ao Nang.

Vários hotéis, várias opções gastronômicas, perto do píer e não ficaríamos ilhados.

Odiamos a sensação de ficar ilhados. Opção nossa.

O aeroporto é bem pequeno e Ok.

Pegamos um ônibus para o hotel que nos deixou na porta.

 

Ficamos em um Ibis maravilhoso, o quarto era pequeno, porém a cama era gigante.

Tinha uma piscina ótima, mini Spa de massagem em frente a piscina, café da manhã bom.

Tinha até toalha para levarmos para a praia.

Pra quem é mochileiro, isso é quase um resort kkkk

 

Fomos andando até perto da praia, e compramos um passeio para o dia seguinte.

Maya Bay, Bamboo Island, Viking Cave e Ko Phi Phi Don.

O dia amanheceu lindo e assim ficou, em pleno maio, época de monções.

O passeio consistia em Speedboat (lancha), snorkeling, bebidas não alcoólicas e almoço. Te pegam no hotel de manhã e te deixam no hotel de tarde.

Primeira parada foi em Bamboo Island e é indescritível!

Na minha opinião, o lugar mais bonito.

A água é cristalina, quentinha, a areia branquinha e fofa! 

Ali pertinho tem um lugar pra fazer snorkeling, e o barco parou ali para nós!

Eu não sei nadar, e morro de medo de água, mas ali o medo sumiu.

Pulei no mar com colete salva vidas (lógico), e AMEI fazer snorkeling! Tanto que em todos os outros lugares eu queria fazer snorkeling também kkkk

A água era surreal de transparente, quentinha, cheia de peixinhos e corais.

Depois o barqueiro parou em lugar que não sei o nome, mas fizemos snorkeling e tinha o peixe palhaço (Nemo).

Coisa mais fofa! Estava brincando nos corais.

 

Depois fomos para a tão famosa Maya Bay.

A praia é linda, realmente.

Mas é muito cheia, muito mesmo.

Os japoneses imperam por lá, e quando eu desci do barco de biquíni, me senti celebridade (SQN) kkkk

TODOS olhavam, até pediram pra tirar foto comigo.

Não sei se era por causa do biquíni, por causa do corpo mais curvilíneo ou por ser ocidental.

Realmente não entendi, porque tinham outros ocidentais por ali também.

Meus 15 minutos de fama. kkkk

Maya Bay tem água quentinha, bem transparente, mas não é um lugar pra curtir pq temos que brigar por um lugarzinho na areia.

É tirar sua foto e ir embora, tanto que só dura 30 minutos a parada por lá.

Agora está fechada para visitação por causa do turismo em massa. Estava destruindo o ecossistema da ilha.

 

Depois passamos pela Viking Cave.

Não entendi muito bem, por que era uma caverna com umas armações de madeira sem nada demais... nem podemos descer lá.

Após isso, fomos para Koh Phi Phi Don para almoçar.

Eles nos levam em um restaurante simples, e tinha um buffet onde você se serve.

Vc pode andar um pouco por ali também, pois tínhamos 1 hora de almoço.

Depois voltamos para o hotel.

 

Chegamos no hotel acabados rsrsrrs

Depois de tomar banho me dei de presente uma massagem no Spa deles.

1 hora de massagem, e eu dormi metade dela.

A melhor massagem da minha vida.

Voltei pro quarto e apaguei.

Relaxei tanto que depois o Gui não conseguia me acordar pra jantar! Kkkkk

 

No dia seguinte não pegamos passeio, e fomos para Railay Beach.

Fomos de barquinho (longtail) até Prah Nang Beach.

Gente, que praia! Que visual!

Tem uma rocha gigantesca no meio do mar.

A areia é fofa e a água quente (igual de chuveiro) kkkk

Ficamos a tarde toda ali.

Nessa praia tem barquinhos que fazem comida e ficam ancorados por ali.

Ficam balançando pra lá e pra cá rsrsrrs

Tem árvores que fazem sombra e refrescam o pessoal.

Por mais que Bamboo Island seja o lugar mais lindo, Prah Nang beach foi a melhor praia.

Porque o pessoal pega a comida e fica ali de boa na sombra... entram na água, as crianças brincam na areia.

Vimos muitos ocidentais por ali, e não estava lotado de japas. kkkkk

 

No dia seguinte pegamos o passeio que vai para Hong Island e Hong Lagoon.

Mesmo esquema: Barco, snorkeling, almoço e bebidas. Porém, pegamos o Longtail.

O barco parou primeiro em um lugar que não sei o nome, a água era de uma cor indescritível, porém a visibilidade não era boa.

Ficamos lá boiando e curtindo

 

Depois fomos em Koh Lao Lading, uma praia pequena com água bem clarinha.

Lá nos deram snorkeling, e ficamos nadando por lá.

Era um lugar mais fundo, com um coral bem bonito, tinha uma fenda numa rocha.

Coisa mais linda.

Lá começaram a arrumar nosso almoço.

Tudo no improviso. Aliás, a maioria dos barcos param lá pra providenciar o almoço.

Bolinho de peixe frito, arroz, frango cozido e salada. Tinha frutas também.

 

Em seguida foi a vez de Hong Island. É linda!

Lá tem árvores o que ajuda muito rsrsrsrs

Ficamos por lá umas 2hs.

Fizemos snorkeling, curtimos a água, deitamos e descansamos.

Percebi que lá é legal pra quem tem bebê.

Tem sombra, e é mais calma que as outras.

 

Na volta passamos na Hong Lagoon.

Uma fenda em meio as pedras nos leva até uma lagoa no meio do mar. 

Água verde, quentinha e rasa.

Nem precisa de colete salva-vidas. J

Ficamos ali uns 20 minutos e fomos embora.

 

Agora vou falar um pouco de Krabi (Ao Nang).

A estrutura é muito boa, e bem superior ao nosso litoral no nordeste brasileiro.

Ninguém tenta te explorar.

É aquele valor tabelado e pronto.

Você tem opções de restaurante, bares e lanchonetes muito bons.

Consegue fazer quase tudo a pé.

A cidade tem uma umidade que nunca vi igual rsrsrsr Roupa não seca ali kkkkk

A praia de Ao Nang é bonita, porém nada demais. 

É onde fica o píer para os passeios.

Super indico pra quem não quer ficar ilhado em Koh Phi Phi Don, e também não quer o fervo de Pucket.

 

Quando saímos de Krabi rumo a Filipinas, só conseguia agradecer.

Gratidão sempre presente em todos os dias da minha vida!